O que é ansiedade e quais os sintomas?

definição de ansiedade

Os sintomas da ansiedade atinge quase todo mundo, mas fique atento para que ele não se torne crônico

A ansiedade é um sentimento normal para a maioria das pessoas. Afinal, quem não se preocupa em perder o emprego, ter um relacionamento destruído ou perder as pessoas que ama? Em certa medida, os sintomas da ansiedade são naturais, mas é preciso ficar atento e identificar os sinais quando ele se torna excessivo, porque isso pode causar muitos outros problemas, inclusive a depressão.

O conceito de ansiedade em si é uma resposta natural do ser humano. Ela faz parte da vida, assim como certos níveis de estresse e de tristeza, e nos alerta para coisas que precisam de um pouco mais de atenção. Por isso, não se pode viver totalmente livre de ansiedade. O problema passa a existir quando ela foge do controle e passa a dominar a nossa vida.

ansiedade como controlar

Um dos sinais de que a ansiedade está escalando para níveis indesejáveis é o abatimento, que vem acompanhado de sentimento de paralisação, angústia e medo. Outro fator que deve despertar a sua atenção é o fato de encontrar dificuldade para gerir a ansiedade, porque você pode estar entrando no caminho perigoso de problemas ainda piores.

Controlar os pensamentos é algo muito difícil, mas não impossível. Eles podem se tornar os nossos principais inimigos, jogando-nos para baixo e fazendo com que entremos num rodamoinho de problemas. Eles são também a raiz da ansiedade – tudo começa quando você passa a pensar demais em determinadas coisas, especialmente se elas forem negativas.

ansiedade significado

Quando isso acontece, a sensação que se tem é de que a mente está trabalhando 24 horas por dia, e apenas concentrada no que se percebe como uma ameaça paralisante. Nesses momentos, a pessoa ansiosa pensa excessivamente em como as coisas deveriam ser, criando parâmetros muitas vezes inalcançáveis, o que gera ainda mais incertezas e inquietação.

ansiedade sintomasUma das consequências direta desse comportamento será o cansaço, porque a pessoa afetada gasta muita energia com a sua mente que não para de trabalhar. Em seguida, vêm o esgotamento mental, a sensação de impotência diante da vida e, como consequências mais graves, a síndrome do pânico (com taquicardias, dores de cabeça e dificuldade em respirar), e por fim a depressão por se sentir impotente diante dos problemas.

O medo irracional pode estar relacionado a um objeto, pessoa ou situação. Tem gente, por exemplo, que se sente ansiosa quando anda pela rua ou vê uma barata. Outras pessoas se sentem muito ansiosas diante de situações novas e inesperadas, achando que são incapazes de lidar com elas e resolvê-las.

Outro sintoma bastante grave da ansiedade é o desenvolvimento do Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC), no qual se apresenta comportamentos que se repetem incontáveis vezes (como verificar seguidas vezes se a porta está trancada quando se sai ou se entra em casa e ir à sala a cada 15 minutos durante a noite para ver se a luz está realmente apagada).

Veja Também → Como saber se estou com depressão

Quando perceber que a ansiedade está ultrapassando os limites aceitáveis e começando a dominar a sua vida, tente manter a calma e se concentrar na objetividade. Procure a ajuda de um profissional de psicologia ou psiquiatria o quanto antes se notar que não está conseguindo se livrar dos sintomas, e não deixe que eles progridam ainda mais.

É provável que a pessoa afetada por esse transtorno tenha de fazer uso de medicamentos para evitar as crises ou sair delas, e também existem muitos produtos naturais que podem ser úteis. Porém, mudanças em alguns aspectos da vida serão necessárias para que se volte ao ritmo normal.

Será importante, entre outras coisas, evitar criar expectativas muito grandes com relação a coisas, situações, acontecimentos e pessoas. Quanto mais preparado você estiver para encarar fracassos e decepções, maiores serão as suas chances de controlar a ansiedade.

Além disso, é aconselhável ficar atento a pensamentos negativos e aprender a não alimentá-los, para que eles não evoluam até fazê-lo se sentir ansioso. Procure ser o mais racional e realista possível, entendendo que a preocupação excessiva não irá ajudá-lo a se livrar dos problemas. Pelo contrário, ela vai apenas torná-los piores.

Outra dica: concentre-se na sua respiração quando perceber que está perdendo o controle. Respire fundo, com calma e devagar, segurando o ar nos pulmões por três segundos e soltando-o aos poucos. Repita esse exercício tantas vezes quantas achar necessário. Pode parecer bobeira, mas respirar da forma correta pode fazer você voltar ao controle de seus pensamentos. Outras técnicas de relaxamento, como meditação e exercícios, também podem ser de grande ajuda.

É importante ainda ter amigos com os quais possa conversar sobre seus problemas. Muitas vezes nós não conseguimos ver as coisas sob diversas perspectivas, e uma pessoa que enxerga as situações sem que tenha envolvimento com elas pode nos ajudar a voltar à razão e a parar de entrar em pânico a todo momento.

Embora pareçam sem muita importância, essas atitudes podem ser fundamentais para ajudá-lo a identificar os sintomas ansiedade excessiva e fazer com que ela volte aos padrões considerados normais. Pode ser que você tenha dificudades em adotar esses procedimentos no início, mas não desista. O que não pode é deixar as coisas fugirem do controle.